O que é a BeFly?

Publicado em 3 de março de 2022

BeFly

Em 2021 duas gigantes do turismo, a Belvitur e a Flytour, se juntaram para causar mais impacto no segmento e criar uma nova forma viajar.  

De um lado, a maior agência multimarcas do Brasil, com uma história de mais de 58 anos e do outro a líder do segmento corporativo no país e suas quatro décadas de experiência. 

Foi dessa união de forças que nasceu a BeFly, somando às duas marcas, uma diversidade de startups de tecnologia focadas em soluções para viagens e abraçando todas as empresas de ambos grupos. 

O ecossistema de turismo hoje conta com oito empresas de diferentes soluções: viagens de incentivo, viagens corporativas, inteligência artificial, Online Booking Tools, agência de viagens, casas de câmbio e muito mais! 

É uma proposta one stop shop para viagens, que promete transformar o segmento com inovação, tecnologia e muita experiência.  O plano é sonhar grande e voar alto!

A história da Belvitur 

A Belvitur Viagens é uma agência B2C com a experiência de mais de 58 anos. Nesse meio tempo a expansão da empresa chegou a 10 marcas e 15 lojas, parte em Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro.  

Além dos pacotes de viagem a empresa ficou conhecida por criar casas de câmbio reconhecidas, ferramentas de Online Booking Tools, fornecedora de seguro viagem, escritório para coworking, adquirir um hotel de trânsito em Guarulhos e, mais recentemente, por adquirir a Flytour e outras empresas importantes de diferentes soluções, como a Queensberry e a Vai Voando. 

O CEO da marca, Marcelo Cohen, filho do fundador David Cohen, assumiu a mesma cadeira na BeFly e segue investindo no segmento com soluções cada vez mais inovadoras e transformadoras.  

A história da Flytour 

Fundada por Eloi D’Avila, a Flytour se tornou uma das marcas mais imponentes do segmento na América Latina. Diferente da Belvitur, o destaque da holding são as viagens corporativas que levou prêmios pra casa e a tornou reconhecida no segmento internacionalmente.

Em 2019 eram cerca de 2 mil colaboradores e um faturamento milionário.  

Na pandemia, o cenário mudou e a crise gerou uma queda brusca no faturamento junto ao aumento de dívidas, o que levou a empresa, na época já com mais de 40 anos de história, a ser posta à venda. 

Foi dessa oportunidade que, ao lado de Cohen e da empresa mineira, D’Avila decidiu recuperar a força em uma jornada de grandes transformações e o resultado disso foi a grande aposta: a BeFly.    

Essa história estamos escrevendo todos os dias. Continue acompanhando no site.